ONG: 7 motivos para doar para a APAE Diadema

Quando se ajuda uma ONG, o primeiro a receber o benefício é você mesmo. A satisfação em cuidar do outro nos invade e esse é só o começo das coisas boas que acontecem. Conheça outros 7 bons motivos para doar.

Dentro das Organizações Não Governamentais o trabalho e o compromisso têm a mesma seriedade de uma empresa tradicional. A diferença é que não visa o lucro dos seus fundadores ou investidores.

Ainda, é preciso que sua administração e controle financeiro sejam acessíveis a todos os participantes do projeto. Esse é o princípio da transparência que caracteriza as associações, institutos e fundações.

Essa característica deixa claro que o compromisso de cada ONG é com a sua missão, gerando segurança para os colaboradores de que o investimento será realmente usado da forma correta.

Porém, o principal é a integração entre as pessoas. Quem colabora com os serviços realizados pela APAE Diadema, sabe da seriedade e do compromisso em fazer deste um mundo melhor.

1 – Garantir a Prestação de Serviços

As ONGs precisam da colaboração da sociedade civil e das empresas para a realização de suas atividades. Pois nem sempre recebem o aporte financeiro suficiente do Poder Público.

Por isso, é fundamental todas as doações e trabalhos voluntários que pessoas físicas ou jurídicas possam fazer em favor da APAE Diadema. Assim poderemos continuar o nosso trabalho atendendo centenas de alunos, pacientes e familiares.

2 – Contribuir Para a Defesa de Direitos

A pessoa com deficiência intelectual e/ou múltiplas tem os mesmos direitos que todos os outros cidadãos. Tem direito aos serviços de saúde, aos recursos da comunidade  e a oportunidades de trabalho.

Contudo existem alguns benefícios, que podem ser requeridos pela pessoa com deficiência, como por exemplo: Gratuidade em sistemas de transportes municipais e intermunicipais, isenção de rodízio municipal, isenção de IPVA e isenção de IPI.

Outro benefício que pode ser requerido pela pessoa com Deficiência Intelectual é o Benefício de Prestação Continuada (BPC) que é um benefício assistencial previsto na Lei Orgânica de Assistência Social, Lei 8.742 de 07/12/1993. Consiste no pagamento mensal de um salário mínimo às pessoas com deficiência e pode ser requerido desde que a renda familiar per capita não ultrapasse ¼ do valor do salário mínimo.

3 – Libere a Química da Felicidade

Você já experimentou a sensação de doar a quem precisa e receber aquele sorriso sincero de gratidão? Quem na verdade acabou ganhando com essa ação?

O nosso corpo, quando fazemos algo sincero e positivo, libera uma série de substâncias que nos fazem sentir imensamente bem. Endorfina, Serotonina e Dopamina. Esse conjunto também é conhecido como hormônios da felicidade, pois proporcionam bem-estar imediato.

Quem sofre com depressão, ansiedade e outros transtornos psicológicos apresentam melhoras rápidas e significativas quando fazem atividades de voluntariado. 

4 – Investir em Educação

Quem investe em educação e produção do conhecimento realmente quer o bem do próximo. Pois são valores que sempre serão multiplicados e a sociedade é a maior beneficiada.

Afinal, com a inclusão e o desenvolvimento sócio educativo das pessoas com deficiência intelectual e ou múltiplas amplia-se as oportunidades. O trabalho da ONG deve ser sério e consistente para que essa transformação realmente aconteça.

A Escola de Educação Especial “Alberto Simões Moreira” é um exemplo. Mantida pela APAE Diadema, e supervisionada pela Diretoria Regional de Educação, a escola oferece o ensino Fundamental I Adaptado.

Essa iniciativa acolhe alunos de 06 até 29 anos, potencializando suas habilidades para que alcancem a própria autonomia na vida diária. Sua equipe é composta por: Professores, cuidadores, assistentes sociais, fonoaudiólogos, pedagogos, enfermeiros, psicólogos, terapeutas ocupacionais e nutricionista.

Leia também: Por que sua doação faz toda a diferença?

5 – Colaborar para a Inclusão no Mercado de Trabalho

À medida que passam os anos a humanidade evolui. Ao menos deveria. Por isso é importante que façamos a nossa parte de tirar as faixas que vendavam nossos olhos. Aprender a ver e a conviver com as diferenças é sinônimo de evolução.

Há exemplos diversos de funcionários e empreendedores com Deficiência Intelectual e/ou Múltiplas que são bem-sucedidos. Agora, o significado do termo “sucesso” é relativo para cada um.

Vale conhecer a história dos vários empresários com Síndrome de Down, no Brasil e no mundo, para se inspirar. Além da contratação de funcionários com o TEA – Transtorno do Espectro Autista fora da lei de cotas, como a Revista Exame averiguou anos atrás.

6 – Colaborando para a Inclusão Social

É muito bonito falarmos da importância da inclusão social, mas o que você tem feito de concreto para que isso aconteça? Às vezes podemos achar que está longe do nosso alcance atuar diretamente na solução desse problema.

Errado. Ao se tornar um voluntário de uma ONG, por exemplo, você estará colocando a mão na massa e influenciando várias pessoas. As atividades podem ou não ocorrer dentro de um ambiente específico, pois varia de acordo com a missão e o serviço de cada ONG. Na APAE Diadema, os voluntários podem atuar em atividades externas, como os eventos que acontecem ao longo do ano, para arrecadação de alimentos, fundos e outros donativos.

7 – Fazer um Mundo Melhor

Por mais que estejamos cansados de ouvir a expressão “Fazer um mundo melhor”, ainda não inventaram outra que traduza melhor o que realmente acontece.

Com doações as atividades da APAE Diadema podem ser mantidas e ampliadas. Por isso, é tão importante que você participe conosco desse trabalho.

Ganha o mercado de trabalho, ganha o empresariado, ganha a inovação, ganha a sociedade cada vez mais plural. Ganhamos todos!