Marketing Social: O que é e por qual motivo a sua empresa precisa fazer?

Toda ação de marketing visa promover uma marca, um produto ou uma ideia através de ações de comunicação. Mas e quando se trata do marketing social? Também. Porém, nesse momento se promove uma causa.

E a união das empresas com as causas sociais é fundamental para as mudanças que queremos ver no mundo. Fala-se muito de acessibilidade, inclusão, empatia, positivismo, igualdade, meio ambiente, entre outros movimentos. Contudo, as ações ainda são tímidas diante das urgências que temos.

O marketing social é um caminho, pois une o poder de comunicação das empresas e funcionários às causas sociais através de ações concretas. Atividades essas que colaboram também para que os trabalhos das entidades sem fins lucrativos sejam realizados, bem como a causa tenha sua voz ampliada.

Um bom exemplo de marketing social é patrocinar os eventos da APAE Diadema e participar ativamente deles.

 

Defender uma causa é se posicionar

Embora o interesse principal da maioria das empresas seja gerar lucro, não se pode mais fechar os olhos para os problemas do mundo. Questões essas que estão na pauta do dia de todas as pessoas.

Por isso, quando as empresas abraçam uma causa através de ações de marketing social elas estão dialogando com as preocupações das pessoas. Agora, esse diálogo acontece somente com as pessoas que têm as mesmas inquietações da causa defendida.

Quando um estabelecimento decide patrocinar os eventos da APAE Diadema, ela está defendendo não só uma causa, mas várias:

  • Inclusão;
  • Acessibilidade;
  • Saúde;
  • Educação;
  • Geração de Renda;
  • Saída de estados de vulnerabilidade;
  • Direitos iguais;
  • Entre outros.

 

E quando um funcionário que conhece o trabalho desenvolvido e também participa da instituição, passa para outras pessoas, com o boca a boca, a vontade de ajudar, está fazendo o bem acontecer.

Isso porque, embora a causa principal da APAE Diadema seja a inclusão de pessoas com deficiências intelectuais e/ ou múltiplas, as demais causas também fazem parte dos projetos desenvolvidos pela entidade.

Dessa forma, é possível visualizar a abrangência que uma única ação de marketing social tem. Mas ela para por aí? Evidente que não.

Leia mais: ONG: 7 motivos para doar para a APAE Diadema

 

Quem são as pessoas impactadas pelas ações de marketing social?

Nem todas as pessoas sabem que estão sendo impactadas pelas ações de marketing as quais são bombardeadas a todo momento. E isso acaba não tendo relevância se o consumidor passar por essas comunicações sem despertar interesse.

Entretanto, o marketing social vai atuar junto às crenças das pessoas. Sendo ou não consumidores do seu produto, marca ou serviço. Dessa forma, está sendo construída uma imagem perante a sensibilização de um público maior.

Essa estratégia permite que percebam a sua empresa ou projeto de uma forma particular. E quando chegar o momento de comprar a sua oferta, a pessoa irá acessar uma impressão inconsciente positiva pela associação com uma causa que ela também defende.

Então, as pessoas impactadas pelas ações de marketing social são prioritariamente aquelas ligadas à empresa, marca ou produto que está patrocinando a ação beneficente. A consequência desse investimento é impactar as outras pessoas que dependem das atividades da entidade beneficiada.

 

E os funcionários, parceiros e colaboradores?

As ações de marketing social só acontecem quando há engajamento dos funcionários, parceiros e colaboradores das empresas apoiadoras. E isso é tão transparente que não poderia ser diferente. Afinal, as empresas são as pessoas!

As causas defendidas pelas empresas refletem as crenças de quem trabalha nela. É uma questão de afinidade. E isso é tão visível que normalmente as ações realizadas através do marketing social partem dos próprios colaboradores.

Por exemplo:

A secretária da recepção da fábrica é voluntária na APAE Diadema e dá uma sugestão à área de Recursos Humanos para que a empresa faça uma campanha de doação para a entidade. A gerente do RH, que faz doações pessoais à entidade, pensa que pode ser interessante ampliar a ideia e convidar os fornecedores da empresa para também participarem da campanha.

O diretor de marketing gosta da sugestão. Então, além de doar equipamentos e móveis que serão trocados no início do ano, com a devida aprovação da diretoria, aproveita para convidar os fornecedores a doar para a APAE Diadema e a participar dos eventos da instituição.

A gerente do RH, juntamente com a equipe de marketing, faz cartazes e os espalha pela fábrica falando da participação da empresa nos eventos, convidando os funcionários a participar.

Entre os colaboradores que trabalham na parte operacional da fábrica está Flávio, pai de Alex, um dos alunos atendidos pela APAE Diadema. Flávio fica muito feliz pela ação da empresa e motiva todos os colegas a participar da ação.

Os colegas de Flávio ficam empolgados e confirmam presença. Eles entendem o quanto essa ação é importante para o colega e seu filho, e começam a falar com mais orgulho da fábrica onde trabalham.

Perceba, uma ação de marketing social não se faz sozinha e o impacto vai além do que se imagina.